pessoas

Por quê as pessoas deixam de existir ?

Não estou falando de deixar de exisitir fisicamente, mas sim de sumir, de mudar

o jeito de ser, de agir, de falar.

Isso acontece inconsciente, ninguém nunca percebe, só quem vive com a pessoa.

Percebi isso há muito tempo, era bem criança, adolescente eu acho.

Tinha um casal de primos, éramos muito amigos, fazíamos tudo juntos, eram mais novos

que eu.

Sempre dormia lá e vice versa.

Tínhamos nossas brincadeiras, estórias, zueiras……

Um dia se mudaram com a família para uma cidade vizinha.

Senti muita falta deles…

Em pouco tempo voltaram, e vieram na casa de uma tia deles,

iam ficar o fim de semana, a família toda.

Me convidaram para ir até lá também…..fiquei radiante,

tava com muita saudade, tinha muita

coisa pra conversar..

Mas quando me encontrei com eles, não eram mais eles, estavam diferentes, como se

alguma coisa, algo tivesse acontecido com eles,

não eram o casal de primos que eu tanto gostava…..

Não eram….me senti muito mal….chorei muito………mas nunca comentei com ninguém.

O tempo passou, crescemos, cada um segui sua vida, seu caminho……….Criamos família…….

Ainda me lembro deles, não dos novos, mas dos antigos primos que eu tinha.

Infelizmente, para meu desespero, vivenciei outras vezes esse tipo de coisa, pessoas que

deixam de existir….

E o pior da estória, eu continuei existindo, o mesmo eu,

que perdi meus primos, que perdi tantos amigos e amigas.

Isso é muito estranho, é tipo um Karma, as pessoas que amo

deixarem de existir, sempre

sei disso quando conheço alguém e me apego, e sempre tento falar isso

com a pessoa, mas nunca ninguém entende….

E com o passar do tempo, sempre acontece, e dói pra caramba.

Acho até que acostumei, às vezes acho que é hora de parar de cair de cabeças nas

minhas amizades, parar de me “apaixonar” assim…

As vezes acho que não vale a pena…

Mas depois, pensando bem e relembrando cada bom momento, cada bom sentimento,

cada sensação boa que me proporcionaram essas amizades …

agradeço por cada uma delas…

e entendo, na minha infinita ignorância, que esse é o grande desafio.

Aproveitar cada sentimento, e deixar que outros também se beneficiem com isso.

Cada minuto de vida vale a pena, cada segundo…

Estamos aqui para aprender, sofrer, viver, aprender, sorrir, e sofrer de novo ás vezes.

Mas mesmo assim, não posso impedir que as pessoas deixem de existir….

Mas na minha memória todas vivem, todas são as mesmas de sempre e sempre.

cada dia

Cada dia é único
Cada minuto e segundo são únicos.
Os sentimentos mudam a cada momento.
Nem sempre tenho as mesmas emoções.
Às vezes to centrado, outras avoado.
Outras penso que posso mudar o mundo
ou que sou o centro dele.
Às vezes a solidão me pega
mesmo com pessoas ao redor.
Tento me encontrar e me perco mais.
O humor se altera ao sabor do vento.
O sorriso às vezes dói.
Pensamento nunca para.
Agita, se move, voa, grita e quer sair.
Viaja e volta ao ninho.
Se aquieta e vai dormir.
Olhos. Mãos. Corpo.
Cada dia é diferente.
Todo dia é novo.
Ouço as cores das imagens,
sinto o aroma dos sons
e vejo o sabor das flores.
Desconexo. Complexo.
Vivo cada dia.
Amanhã não sei se existirá.
E o ontem já passou.
Cada dia...até um dia 
em que não haverá mais,
não haverá mais um dia.
E fim.

Leite com polenta


 

Leite com polenta
Existem certas lembranças que não nos abandonam,
independente do tempo que passe.
Ontem comi polenta com repolho.
E me lembrei de uma cena de minha infância.
Meu pai comendo leite com polenta.
Parece estranho, mas a lembrança foi boa.
Me lembrei da caneca com leite quente com café
e polenta picada acrescentada.
Consegui sentir o sabor, o aroma..
A cena toda me veio à mente.
Hoje de manhã comi leite com polenta
com cevada, pois não tomo café.
Ficou bom.
Mas a lembrança ainda foi maior.
Me lembrei de outra cena.
Me pai, lavrador, homem do campo.
Corpo atlético pelo trabalho.
Me lembrei quando ele voltava pro café da tarde.
Se alimentava com café e pão caseiro
e se deitava no chão para o descanso
e sempre acabava dormindo.
Não sei porque mas tinha medo que ele morresse
e sempre fica por perto vendo a respiração
e me tranquilizava.
São cenas que nunca comentei com ele
aliás, com ninguém.
Interessante como certas lembranças não se vão.
Nunca se vão…

pensamentos e palavras

pensamentos doentes
corpos insanos
olhos atentos
mentes vagando
palavras que calam
ouvidos surdos
dores a gritar
gemem o mal
exprimem a dor
dor do saber
dor do sentir
dor do querer
dor do fazer
palavras ao vento
elas vem
elas vão
insanas
profanas
palavras faladas
caladas
na calada da noite
na noite que cai
pensamentos doentes
a dançar na mente
dia…noite…fria
ódio..amor..
quem? alguém?
além….
palavras que
não saem
caem…

talvez

talvez seu caminho mais longo
seja aquele que você tenha de fazer sozinho
talvez sua dor mais crucial
seja aquela que tenha de sofrer escondido
sua pior fome talvez seja aquela
que não nunca se sacia
seu pior pesadelo seja aquele
em que você nunca acorde
sua maior alegria seja aquela
que você ainda não sentiu
talvez sua alma gêmea
já tenha morrido do outro
lado do mundo
cansada por te procurar
talvez aquele rosto que tanto procura
você não vá encontrar
talvez aquela rua por onde você
passou hoje, você nunca mais vá passar
talvez aquela lágrima que você
deixou escorrer nunca seque
talvez você leia essas linhas
apenas uma vez
talvez você ache que é feliz
apenas talvez
talvez……

Escola

Ínicio de 1973.
Primeiro dia de aula.
Ansiedade. Tensão.
Palavras que eu nunca tinha ouvido.
Mas era o que sentia.
Sempre sozinho.
Vida rural é assim.
Escola. Pessoas. Tudo era novo.
O lanche: pão caseiro com goiabada.
Goiabada caseira.
Minha mãe que fez.
Carteiras duplas. Interessante.
Só conhecia uma pessoa.
Uma menina que morava perto de casa.
Éramos amigos.
Eu, ela, seus irmãos e outros de perto.
Estudava após o almoço.
Hora do recreio.
Intervalo.
Lá vou eu procurar minha amiga.
Acho que para diminuir a tensão.
E vem um senhor com cara bem séria.
Me diz: meninos ficam do outro lado.
Separados.
Primeiro dia de aula.
Ínicio de 1973.

dias a passar

os dias passam ligeiros
outros nem tantos
uns queriamos que fossem mais rápidos
mais um dia se foi?
ou seria menos um dia?
menos um dia de nossa existencia
menos um dia para se desculpar
para dizer a alguém que a amamos
menos um dia para viver
mais um dia que vivemos
mais um dia que se foi
amanhã é um novo dia
mais um dia
amanhã podemos acertar
fazer o deixamos de fazer hoje
sermos melhores
ontem se foi, não dá para voltar
amanhã nem sabemos se chegará
nos resta o hoje, o agora
essa é a nossa certeza
somente o hoje nos pertence
somente o agora
e só.